sexta-feira, 15 de novembro de 2013

“Pede-me o que Quiseres”
de Megan Maxwell

Luxúria, desejo e muita, muita fantasia



Primeiro livro de uma trilogia que está a fazer grande furor entre os aficionados da literatura de conteúdo erótico, “Pede-me o que Quiseres” (Planeta, 2013) é um romance envolto de uma elevada carga de fantasias sexuais que têm, como companhia, alguns apontamentos mórbidos.

Filha de mãe espanhola e pai norte-americano, Megan Maxwell apresenta uma aventura repleta de encontros e desencontros onde o espírito voyeur e o desejo de ultrapassar limites e fronteiras leva os personagens deste livro a experimentar imparáveis limites de prazer.

No que toca à narrativa propriamente dita, “Pede-me o que Quiseres” centra-se em Eric Zimmerman e Judith (a narradora de toda esta trama) e tem Madrid como palco principal. Zimmerman é um prestigiado empresário alemão que, após o falecimento do seu pai, viaja até terras de Espanha de forma a supervisionar as filiais da Muller, a empresa que representa. É nos escritórios madrilenos que conhece a simpática e sagaz Judith e se perde de desejo.

A atração é recíproca e Judith aceita entrar nos jogos sedutores e apaixonados de Eric, cujos principais ingredientes revelam intensos níveis de fantasioso erotismo onde, submissos e dominantes, têm uma importante função a desempenhar – nem que seja assumindo um papel voyeur. Com o passar do tempo a relação cresce e Eric sente-se ameaçado, pois o seu mais escondido segredo pode ser revelado – o que ditaria o final da apaixonada relação que tem Judith como musa.

Literatura não aconselhada a menores de dezoito anos e de puro entretenimento, “Pede-me o que Quiseres” dá a conhecer a escrita competente e desinibida de Megan Maxwell através da qual já ganhou alguns galardões – ainda que em territórios da literatura apelidada de Chick Lit -, dos quais destacamos o Prémio Internacional Seseña de Novela Romântica, em 2010, o Premio Dama de Clubromantica.com, em 2010, 2011 e 2012, assim como o Aura Galardão de Encuentro Yo Leo Ra, já neste ano que se aproxima do fim.

Ainda que esta seja a primeira aventura de Maxwell por páginas onde o sexo e o erotismo andam de mão dadas, “Pede-me o que Quiseres” vai com certeza figurar entre os melhores livros do género deste ano e destaca-se das demais obras do género pois, o seu conteúdo “picante”, é um rastilho para os sentidos do leitor, que pode contar com muitas cenas de sexo omnipresentes e deveras explícitas por entre pitadas de um interessante humor.

In Rua de Baixo

Sem comentários:

Enviar um comentário